HEMORROIDAS

Doença Hemorroidária, conhecida popularmente como hemorroida, é o nome dado a problemas causados por veias dilatadas na região anal que podem manifestar sintomas desconfortantes devido ao aumento de volume na região tais como: coceira, dor e sangramentos.

Ela resulta de alterações na circulação sanguínea dos vasos hemorroidários e apresenta fatores que contribuem para o seu desenvolvimento, como: esforço nas evacuações, gravidez e parto, hereditariedade e até o envelhecimento.

A doença é classificada em dois tipo de acordo com posição em que se apresenta: hemorroidas internas e hemorroidas externas. As externas se formam no canal anal e região externa, sendo recobertas por uma pele bem sensível. Todavia, as internas estão na parte bem interna do ânus e são recobertas pela mucosa intestinal.

 

 

SINTOMAS

Geralmente os sintomas mais comuns se apresentam durante a evacuação: dor, coceira, sangramento e prolapso.

O prolapso é redutível e, às vezes, volta sozinho para dentro após a evacuação. Em outras vezes é necessário procurar o auxílio de um proctologista.

O sangramento pode variar na intensidade, mas geralmente é vermelho vivo.

Inchaço persistente após evacuação pode gerar uma sensação de inflamação, que resulta em um desconforto muito doloroso.

É comum mulheres grávidas desenvolvem sintomas no final da gestação e que acabam melhorando após a gravidez. Contudo, caso se tornem crônicos, necessitam de cuidados médicos.

TRATAMENTOS MAIS COMUNS

O tratamento envolve desde cuidados simples, uso de medicamentos e, em alguns casos, cirurgia.

Beber bastante água  e aumentar o consumo de fibras é importante, pois ajuda a umedecer as fezes, diminuindo a constipação e o atrito que a passagem das fezes provoca no reto e ânus.

É preciso ainda evitar limpar a região anal com papel higiênico, dando preferência a jatos de água. Também é importante não segurar as fezes quando tiver vontade de evacuar.

Se o tratamento conservador não for suficiente podem ser sugeridos tratamentos minimamente invasivos como a ligadura elástica, terapia com radiofrequência, que apresentam alta taxa de sucesso.

Em casos mais graves pode-se indicar a cirurgia tradicional, chamada de hemorroidectomia aberta, ou ainda a cirurgia com o uso do grampeador que tem alto percentual de sucesso e baixo índice de recidiva, porém a recuperação é mais demorada.

 

Dr. Alexandre Antonio (Coloproctologista | Clínica COEM)