POLINEUROPATIA

Polineuropatia é um distúrbio simultâneo de diversos nervos periféricos em todo o organismo, podendo ser Aguda, quando tem início repentino, ou Crônica, com desenvolvimento gradativo.

A Polineuropatia Aguda pode ter como causas infecções em consequência de toxinas sintetizadas por bactérias ou uma reação auto-imune. Enquanto que a polineuropatia crônica pode ter entre as causas: diabetes, uso excessivo de álcool, deficiências nutricionais e de vitamina B12, hipotireoidismo, Insuficiência renal entre outros.

Algumas substâncias tóxicas podem levar à lesão de nervos periféricos, resultando em uma polineuropatia ou, de forma menos frequentemente, a uma mononeuropatia.

Na Polineuropatia Aguda as manifestações se iniciam de forma repentina em ambas as pernas e avança rapidamente para aos braços. Os sintomas incluem fraqueza e uma sensação de formigamento ou perda da sensibilidade, podendo ainda afetar os músculos que controlam a respiração causando insuficiência respiratória.

Os sintomas mais relevantes na Polineuropatia Crônica são o formigamento, a dormência, dor semelhante a de uma queimação e incapacidade de sentir vibrações ou a posição dos membros superiores, dos membros inferiores e das articulações. As sensações dolorosas se intensificam mais durante a noite e podem se tornar mais intensas quando a área afetada é palpada ou quando há mudança de temperatura.
É comum que pacientes com polineuropatia se machuquem de forma imperceptível devido a perda de sensibilidade na área afetada. A ausência de dor também também propicia lesões articulares e podendo ainda enfraquecer e atrofiar determinadas musculaturas.
O diagnóstico polineuropatia é obtido através do quadro clínico apresentado pelo paciente e ainda a partir de exames físico e neurológico.
Dr. Alessandro Mesquita